segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Desabrigo



Eu brigo com o tempo que passa lento,

E com todos os anjos do céu

Que desfrutam de você agora

Como só eu podia, outrora.


Eu sou aquela casa vazia,

Desabrigada de mim mesma

Pela ausência da sua alegria

E dos espaços que só você preenchia.


Eu sou o próprio silêncio instalado.

As defesas sufocadas, tão incapazes

Demonstram quão pequena sou.

Sem você fui privada dos meus lugares.

Um comentário: