sexta-feira, 11 de maio de 2007

O Mar


Há um mistério todo especial
Navegando em mim.
Rema, rema sem parar,
Parece que não cansa...
Não sei onde quer chegar.


Mesmo sendo esse meu mar íntimo,
Lugar perigoso, imprevisível...
Navega sem parar,
Sem receio, sem medo ou indecisão.
Rema... rema sem cessar.


E as vezes calmo, tranqüilo, se entrega
Meu mar curioso,
À espera de em algum canto aportar,
Esse mistério que não cede.
Rema... rema para algum lugar.


Impaciente, provoco tempestades.
Ondas gigantes,
E vendavais repentinos.
Mas nada contém esses remos...
Que remam... não desistem de me navegar.


Talvez ele não me veja realmente.
Ou não deseje mesmo parar.
Esse mistério que tanto me desbrava...
E não descansa, e não chega,
Só queira mesmo manter agitado e vivo
O meu mar.

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. O mar que vc descreve ser o seu mar intimo é a mesma paixão que eu sinto por ele...
    ...Lindo o seu texto vc conseguiu se expressar com belas palavras sobre essa linda água serena que percorre grande imensidão!!!

    ResponderExcluir