sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Palavras soltas


Seja qual for o risco, se a emoção é forte e genuína, tudo vale a pena, mesmo que represente o fim.

Mas acredite, nunca é o fim, mas o recomeço de algo novo que não sabemos ser novo. E que nunca saberemos se é, realmente, recomeço ou fim, afinal.

Só se aprende quando se sente na pele. Por isso a sensação é tão importante. Ela é a lição, e é a partir dela que começa o crescimento.

E o crescimento não termina jamais, a não ser para as almas medíocres, que se recusam a encarar a vida e a viver. Elas, coitadas, sequer chegam a nascer.

Esse barulho, esse movimento, essas indagações nunca serão o bastante. Não há lição suficiente, porque não há fim, e não há verdade nem mentira. A vida, a morte... é tudo recomeço.

E isso é tudo.

Ou é nada.

Depende do valor e da utilidade que você dá ao que aprendeu.

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir